Banindo Todas As Sombras

JEFFREY R. HOLLAND

do Quorm dos Doze Apóstolos 

Abril 26, 2019

Uma coisa engraçada aconteceu comigo a caminho daqui. Só para me certificar de que não chegaria atrasado, comecei a viagem para Provo há mais de duas semanas. E olha, ainda bem que o fiz. Eu não tenho certeza de onde eu fiz a curva errada, mas o que eu percebi em seguida era que estava vendo placas de trânsito que diziam Jerusalém, Nairóbi, Bangalore e Hong Kong! Meu Deus, fiz tudo o que pude para finalmente chegar aqui.

 

E o mais incomum sobre isso é que foi o Presidente Russell M. Nelson que estava me dando conselhos sobre o caminho que eu deveria seguir. Eu me pergunto se é sempre assim que ele leva pessoas de Salt Lake a Provo!

 

A irmã Holland e eu chegamos a vocês recém retornados de uma das experiências mais marcantes de nossas vidas. Vocês podem imaginar viajar ao redor do globo em uma missão ministerial mundial com o profeta do Senhor e sua maravilhosa esposa? Foi uma experiência única em nossas vidas. Naquelas palavras frequentemente citadas de Oliver Cowdery, estas duas últimas semanas com o Presidente e a irmã Nelson foram verdadeiramente “dias que nunca devem ser esquecidos”1.

 

Este não é o momento nem o lugar para contar-lhes as histórias de nossa experiência, mas eu presto meu testemunho a vocês de que o Presidente Russell M. Nelson é um profeta ordenado por Deus desde antes da fundação do mundo e que ele está exercendo esse chamado de uma maneira magnífica em público e em particular. Trago-lhes seu amor como presidente do Conselho de Administração da BYU e o amor de todos aqueles que servem com ele, incluindo os presidentes Dallin H. Oaks e Henry B. Eyring. Não é pouca coisa, meus amados amigos, que aqueles que supervisionam a BYU sejam profetas, videntes e reveladores. Essa é apenas mais uma bênção especial com a qual vocês podem contar neste feliz dia de formatura.

 

Em nome de todos vocês e de nosso conselho administrativo, agradeço ao Presidente Kevin J Worthen, seus associados na administração, aqueles que são desta maravilhosa faculdade e todo o pessoal eficiente desta universidade. Agradeço o esforço que todos fizeram para que este dia se tornasse o que ele é para 6,3 mil graduandos e recém-formados. Obter instrução é um trabalho árduo, mas oferecer essa oportunidade também é um trabalho árduo.

 

Por nove maravilhosos anos eu tive a agradável oportunidade de dizer aos estudantes e suas famílias que um dia tão emocionante de triunfo acadêmico valeu mais a pena do que os dias difíceis para chegar aqui - da parte de todos. Eu conheço em primeira mão o que a BYU faz ao proporcionar uma experiência universitária inigualável, mas conheço igualmente bem e com ainda mais ternura o esforço, a poupança, o sacrifício e trabalho árduo que muitos alunos e seus pais experimentaram para chegar a esse momento. Consciente desse sacrifício em uma causa grandiosa - e a educação é uma causa verdadeiramente grandiosa - quero que este seja um dia extremamente feliz para cada um de vocês. Vocês merecem isso. Eu oro para que todos os seus dias sejam assim.

 

Disseram-me que devo dizer algo sábio e original para vocês, mas, sendo incapaz disso, deixem-me lembrar-lhes apenas uma ou duas coisas que vocês já sabem. Vocês vão pensar que houve alguma conspiração entre os palestrantes hoje. Não houve, exceto como orquestrado no céu.

 

Eu quero que vocês percebam que as fontes que vou citar são extraídas dos meus dias de graduação na BYU. Oh, eu posso ouvir vocês murmurarem agora! Uma lição de história antiga, vocês dizem. Lições tiradas de antes do relógio geológico da Terra começar a funcionar. Sim, sou velho, mas me perdoem. Eu faço isso em parte apenas para provar aos professores que, às vezes, os alunos realmente se lembram de algumas coisas que foram ensinadas aqui.

 

Thomas Wolsey - Ambição Frenética

 

Meu primeiro lembrete é sobre cautela. Ele vem do homem que se levantou em seu tempo para se tornar o clero mais poderoso de todo o reino britânico de sua época, o magistral Thomas Wolsey, perdendo apenas para o lendário Henrique VIII em sua influência sobre o domínio do rei. Sua história é uma advertência - desnecessária para vocês, espero - para não conduzir a escada do sucesso tão desenfreadamente de forma que descubra que, no final, a encostou na parede errada.

 

Wolsey era filho de um açougueiro de Suffolk que não tinha instrução, mas a força de sua ambição e imenso talento o levaram a um rápido crescimento através da Universidade de Oxford e da Igreja Católica, onde rapidamente se tornou capelão de Henrique VII.

 

Mas a sorte de Wolsey prosperou ainda mais dramaticamente quando Henrique VIII subiu ao trono. Sob ele, Wolsey serviu como arcebispo de York e, finalmente, cardeal, tornando-se provavelmente o membro mais influente do Conselho Privado de um rei até aquele momento ou desde então. Rapidamente, ele se tornou a figura controladora em todos os assuntos de estado e em todos os movimentos políticos feitos por seu monarca. Ele amava a exibição e a riqueza. Ele viveu em esplendor real e se deleitou em seu poder.

 

Então Ana Bolena entrou em cena. O jovem rei Henrique estava decidido a mover céu; terra; sua esposa, Catarina; e a Igreja Católica Romana para tê-la, mas os obstáculos eram quase intransponíveis. Henrique disse a Wolsey para superá-los. Wolsey disse não, porque ele não podia, e o fracasso provou ser fatal.

 

Apesar de uma ascensão tão notável e virtualmente sem precedentes ao poder político, a queda de Wolsey foi súbita e completa. Incapaz de obter a aprovação de Roma para um divórcio, Wolsey foi desprovido pelo rei Henrique de todos os escritórios e de todos os seus bens, foi acusado de traição e foi condenado a comparecer em Londres para um julgamento que provavelmente teria levado a uma ordem de execução. Em grande angústia, ele partiu para a capital para enfrentar seu monarca. No caminho, ele adoeceu e morreu.

 

Com a ajuda de William Shakespeare, que lhes envia parabéns e pediu para ser lembrado, convido-os a pensar no lamento de "despedida" do Cardeal Wolsey. Para os formandos da BYU de hoje, ele diz:

 

Adeus, um longo adeus a toda minha grandeza!

Esse é o destino de todo homem: 

Hoje lhe nascem as folhinhas tenras da esperança; amanhã ele floresce, 

carregado ficando de honrarias; 

Mas no terceiro dia vem a geada, uma geada mortal, 

E. . . ela a raiz lhe morde,

Caindo ele, tal como agora eu caio. . . . 

. . . Minha vaidade, inflando-se ao extremo 

Arrebentou sob mim, ora deixando-me

cansado e envelhecido no serviço. . . .

 

. . . Despe-te de ambição, te peço 

Esse pecado derrubou os anjos; como útil poderia ser aos homens,

de Deus feitos à imagem? 

Não reveles egoísmo; ama aos próprios inimigos.

Não lucrarás por meio do suborno mais do que com a verdade . . . .

 

Se ao meu Deus eu tivesse revelado metade, só, do zelo

Com que eu sempre servi o soberano, ele decerto

não me teria... entregue nu aos meus inimigos.2

 

Que final trágico para um começo tão talentoso! Que despedida comovente para uma vida que possuía tanta promessa! E onde isso deu errado? Deu errado quando a ambição pública de Wolsey tornou-se mais importante do que sua integridade pessoal, quando cortar os cantos morais era mais vantajoso do que manter a retidão moral, quando o poder político e a riqueza imprópria criaram a sede de mais e mais do mesmo, até que viver honestamente e exercer responsabilidade em seus atos não saciavam essa sede e foram descartados ao longo do caminho, para nunca mais serem recuperados.

 

Eu me pergunto se o cardeal Wolsey levantaria sua voz do túmulo hoje, se ele pudesse, quase cinco séculos depois de sua precipitada queda, para citar a vocês uma simples escritura que ele provavelmente leu mais de uma vez em seus deveres clericais: “Pois que aproveita ao homem, se ganhar o mundo inteiro, e perder a sua alma? ou que dará o homem em troca da sua alma?”3

 

Vocês deixam a BYU para entrar em um mundo político, social e econômico que seus pais nunca conheceram e que seus avós nunca poderiam ter sonhado. Talvez isso seja verdade para cada geração subsequente na história, mas na minha velhice, eu, por exemplo, não poderia imaginar como um estudante da BYU há mais de meio século, o mundo que vocês vão experimentar agora. Muito desse mundo é incrivelmente belo e gratificante.

Você percebe que quando eu era um estudante da BYU, meus colegas tiveram que esperar por uma oportunidade às 3:00 da manhã para usar por alguns minutos o computador IBM de mainframe (computador de grande porte) da universidade em projetos que agora você pode quase literalmente - não exatamente - obter no seu computador portátil?  (Eu ia dizer no seu celular) .Quase nada parece impossível agora no mundo da ciência, tecnologia e biomedicina, incluindo coisas como engenharia genética, inteligência artificial e cirurgia fetal. E agora você tem carros que dirigem a si mesmos e pequenos cartuchos que tocam sua música favorita, respondem a seus problemas de matemática, dizem que horas são no Uzbequistão e põem manteiga na torrada - tudo antes de sair da cama!

 

Mas nem tudo é tão bonito em todos os lugares para todos. Em tantas nações do mundo, incluindo partes da nossa, pode ser um tempo profetizado pelo meu poeta irlandês favorito, que advertiu:

 

O falcão não pode ouvir o falcoeiro;

. . . o centro não pode aguentar; . . .

. . . em toda parte

A cerimônia da inocência é afogada;

Os melhores não têm convicção, enquanto os piores

São cheios de intensidade apaixonada.4

 

Eu não concordo que “os melhores não têm convicção” porque vocês, sentados diante de mim, vestidos em trajes cerimoniais, e uma multidão de pessoas boas em toda a terra como vocês provam o contrário. Eu acredito em vocês para serem os melhores, e eu estou contando com vocês para ser consumido em convicção.

 

Mas, infelizmente, temo que, em muitos casos, “os piores [de nossos dias] sejam cheios de intensidade apaixonada”. Nenhuma criança deveria ter que ir à escola com medo de não viver para ver seus pais naquela noite. Nenhum cidadão deveria ter que conviver com um sistema - escolha uma nação, qualquer nação ou coloque um alfinete num mapa do mundo quase ao acaso - onde a corrupção é desenfreada, onde o caos é a ordem do dia e onde a diplomacia, discurso elevado (para não falar elegante) e comportamento pessoal digno são conceitos aparentemente estranhos. Nenhum jovem da sua idade - ou de qualquer idade - deveria  enfrentar condições em tantos lugares onde pobreza e abuso (incluindo abuso sexual), desnutrição e doença e tráfico de pessoas e terror ainda são a regra e não a exceção para muitas pessoas, incluindo muitas crianças.

 

Bem, eu não quero insistir em nada negativo hoje, e você pode dizer que sempre foi assim no tempo, e talvez tenha sido. Mas não tem que ser! Então vá lá e acenda uma vela. Seja um raio de luz. Seja o seu melhor eu e deixe seu personagem brilhar. Cuide do evangelho de Jesus Cristo e viva-o. O mundo precisa de você e, certamente, seu Pai Celestial precisa de você para que seus propósitos abençoados para Seus filhos prevaleçam. Você entrou para aprender. Agora vá em frente para servir e fortalecer. Se corrigir todos os males do mundo parece uma tarefa difícil, que assim seja. Se arrisque e não se intimide. Se não podemos contar com você para mudar o mundo, com quem contaremos.


John Donne - a escuridão sempre se transforma em luz

 

Aqui está a razão pela qual você pode ter sucesso - meu segundo e único outro lembrete para você hoje. Dou-lhe encorajamento de outro inglês, o talentoso filho de um ferrador, um jovem brilhante que estudou direito, viajou o mundo e voltou para casa para encontrar seu verdadeiro chamado na poesia e no púlpito.

 

John Donne foi indiscutivelmente o maior de todos os poetas metafísicos, mas foi, também, aquele que alcançou o ápice do sucesso ministerial, tornando-se o reitor da Catedral de São Paulo e pregando regularmente diante de Carlos I e da família real. Os melhores de seus sermões são inigualáveis ​​na história da Igreja inglesa. Quase totalmente negligenciado por mais de 300 anos antes de ser descoberto, por assim dizer, há mais ou menos um século, John Donne retorna de seu túmulo para dar aos formandos da BYU uma palavra final de confiança enquanto você entra no caminho que conduz firmemente ao seu futuro.

 

Eu acabei de dizer que o mundo em que você está agora tem desafios e dificuldades. Nos próximos dias e anos, você poderá sofrer algum desânimo e decepção. Ocasionalmente, você pode sentir um desespero genuíno, seja para si mesmo ou para seus filhos, ou para o sofrimento e as condições dos outros. Você pode até mesmo cometer um erro pessoal ou dois - erros sérios, talvez, embora eu espero que não - e você pode se preocupar que qualquer chance de ser feliz e seguro na vida tenha te iludido para sempre.

 

Quando esses tempos chegarem, peço-lhe que se lembre disto: esta é a Igreja dos finais felizes. Os problemas nunca precisam ser permanentes nem fatais. A escuridão sempre cede à luz. O sol sempre se levanta. Fé, esperança e caridade sempre triunfarão no final. Além disso, eles vão triunfar ao longo do caminho. 

 

Nosso pregador inglês disse isso:

 

Pedimos nosso pão de cada dia, e Deus nunca diz que você deveria ter vindo ontem, ele nunca diz [eu não tenho mais], você deve [vir] novamente amanhã, mas hoje se você ouvir a Sua voz, hoje ele vai te ouvir. . . . Deus . . . trouxe luz da escuridão, não de uma luz menor; ele pode trazer o teu verão do inverno, embora tu não tivesses [esperança de] primavera; embora nos caminhos da fortuna, ou [mal] compreensão, ou consciência, tu foste ignorado até agora, vencido e congelado, nublado e eclipsado, úmido e entorpecido, sufocado e estupefacto até agora,. . . Deus [ainda] vem a ti, não como no alvorecer do dia, não como no broto da primavera, mas como o sol ao meio-dia, para banir todas as sombras, como os feixes na colheita, para preencher todas as penúrias, todas as ocasiões convidam a sua misericórdia e todas as vezes são as suas estações.5

 

Com tudo o que você aprendeu aqui, deixe esta grande escola - que amo de todo o coração - segura na promessa do amor infalível de Deus por você e das bênçãos redentoras que fluem para sempre do evangelho de Jesus Cristo. Você sem dúvida terá dias, para citar o Sr. Donne, quando você pode se sentir escuro, frio, "nublado" ou "eclipsado". Mas se você deseja a misericórdia de Deus, prometo que a ajuda virá até você, "não como no amanhecer do dia, não como no broto da primavera, mas como o sol ao meio dia [banindo toda sombra]. ”Todas as ocasiões convidam a misericórdia divina, e no céu é sempre tempo de colheita. Hoje e sempre, esteja confiante e seguro que a vitória do reino de Deus sobrepujará os problemas e males da mortalidade. Estou mais certo dessa vitória do que de qualquer outra coisa que já aprendi - na faculdade ou fora dela.

 

Parabéns pela sua conquista muito significativa. Como apóstolo do Senhor Jesus Cristo, eu abençoo vocês hoje com abundante promessa e profunda paz, independentemente dos desafios que vocês possam enfrentar agora ou daqueles que ainda possam vir. Eu te abençoo para cultivar vidas de serviço e força espiritual, vidas de caráter e integridade e fidelidade moral, e vidas que lhe trarão confiança quando você estiver na presença de Deus, nosso Pai Eterno, como todos nós certamente faremos em outro tipo de dia da formatura ainda à frente. Até lá, o sol sempre estará ao meio-dia para você, banindo todas as sombras que possam arruinar sua felicidade. Eu expresso nosso orgulho à você e desejo a você boa sorte para a excitante jornada que você agora empreende, em nome de Jesus Cristo. Amém.

Notes

1. Joseph Smith—Histoire 1:71, note de pied de page.

2. William Shakespeare, King Henry the Eighth, act 3, scene 2, lines 351–63, 440–44, 455–57.

3. Matthieu 16:26.

4. William Butler Yeats, “The Second Coming” (1921), stanza 1.

5. John Donne, “Sermon II. Preached in the Evening of Christmas Day, 1624,” in The Works of John Donne: With a Memoir of His Life, ed. Henry Alford (London: John W. Parker, 1839), 1:25; emphasis in original.

Jeffrey R. Holland

Jeffrey R. Holland, do Quorum dos Doze Apóstolos, proferiu este discurso.

Ana Carolina Teixeira
Ana Carolina Teixeira