Seu Amor Infinito

WILLIAM LEWIS

Engenheiro de Sistemas de Aplicação de TI

Devocional dado em 16 de Março de 2021 na BYUI

Como você sente o amor de Deus - seu “amor infinito”? Como você pode mostrar um amor semelhante ao de Cristo?

Obrigado pela introdução, orações, leitura das escrituras e bela música.

 

Oro humildemente para que o Espírito esteja conosco hoje.

Enquanto eu estava estudando para este discurso, pensei em examinar as escrituras de uma nova maneira, refletindo sobre como Deus está nos enviando Seu amor por meio de Suas palavras e exemplo. É como a luz do sol que incide sobre tudo, em todos os lugares. Se não sentimos Seu amor, geralmente é porque não o estamos deixando entrar em nossas vidas.

Nem sempre fui um participante ativo de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias. Quando eu tinha 20 anos, conheci alguém que me ajudou a ver o que estava faltando na minha vida.

Havia uma garota que passava pelo meu apartamento todos os dias e ela sempre sorria, acenava e buzinava quando me via lá fora. Um dia, minha amiga e eu estávamos andando de motocicleta quando a vimos com uma amiga sentada em seu carro conversando com alguns rapazes. Ansioso para finalmente conhecê-la, estacionei minha moto entre seus carros e perguntei se ela queria dar uma volta comigo. Ela disse sim. O nome dela era Sally e nos tornamos amigos rapidamente, passando todas as horas que podíamos conversando. Eu tinha acabado de me formar na faculdade e havia trabalhado no verão como guia de rios. Um dia, eu estava dirigindo uma van de transporte para uma viagem para o rio e pedi a ela que se juntasse a mim. Depois de descarregar o barco, o guia e os convidados, pulamos para dentro da van para voltar, mas a van não deu partida. Fiquei preocupado e depois de várias tentativas acabei com a bateria. Sally sugeriu que orássemos. Eu nunca tinha orado na minha vida. Ajoelhamo-nos no chão da van; ela ofereceu uma oração simples pedindo a Deus para abençoar a van para que desse a partida. Então ela pediu que Ele testemunhasse para mim que Ele estava lá e que Ele me amava. Quando comecei a orar, imediatamente um calor encheu todo o meu corpo e comecei a chorar. Que sensação linda foi esta? Foi então que soube que Deus me amava! Estendi a mão, girei a chave e a van deu partida. Esta foi minha primeira experiência em sentir Seu amor infinito, mas certamente não a última. Como guia de rios, desenvolvi amor pela vida ao ar livre, mas com Deus apreciei ainda mais esses presentes e continuei desenvolvendo outros hobbies ao ar livre.

Ainda gosto de algumas coisas até hoje.

Sinto Sua paz e amor sempre que os compartilho com outras pessoas.

Quando fui apresentado ao amor de Deus, Sally e sua mãe me disseram como era importante para mim dizer a minha mãe que eu a amava e me incentivou fortemente a fazê-lo. Isso foi motivo de séria reflexão para mim. Finalmente criei coragem para contar a ela. Foi uma experiência linda que nos pegou de surpresa.

Eu amo minha mãe e encorajo todos vocês a dizerem a sua mãe que a ama. É interessante como essas três palavras mudaram a dinâmica de nossa família.

Meu discurso hoje é sobre Seu amor infinito.

Qual é a aparência e a sensação de Seu amor infinito?

O Dicionário Oxford diz que infinito significa “ilimitado ou infinito no espaço, extensão ou tamanho; impossível de medir ou calcular''. 

Então, com isso, é impossível medir ou calcular o amor de Deus.

A coisa mais próxima que pude relacionar ao Seu amor foi quando nossos quatro filhos nasceram. O amor que brotou em mim era difícil de descrever. Eu estava animado para voltar para casa todas as noites, para abraçá-los e estudar todos os seus movimentos. Eu não sabia no que o amor poderia se tornar.

Por fim, um novo nível de amor surgiu quando começamos a receber netos.

Temos 13 atualmente, com um a caminho.

O amor que sinto por eles está além de qualquer descrição e atingiu um nível maior que eu não sabia que era possível. Estes doces querubins recém-chegados do amor de Deus derretem o coração de seus avós com abraços e beijos, perdão, ideias engraçadas e empolgação em como pensam que o mundo funciona e se parece com eles. Eles são uma grande alegria para nós.

Em Mateus 18: 1–5, Jesus estava falando com Seus apóstolos e eles perguntaram:

Quem é o maior no reino dos céus?

E Jesus chamou uma criança e colocou-a no meio deles,

E disse: Em verdade vos digo que, se não vos converterdes e não vos fizerdes como crianças, de modo algum entrareis no reino dos céus.

Portanto, aquele que se humilhar como esta criança, esse é o maior no reino dos céus.

E qualquer que receber em meu nome uma criança tal como esta, a mim me recebe. [1]

Nosso Pai Celestial tem um amor infinito por nós.

Ele ama Seus filhos. Cada um de nós, somos todos muito importantes para Ele.

Ele provê ou nos abençoa de inúmeras maneiras. Alguns vêm livremente e outros para os quais nos qualificamos por meio da obediência.

Temos a luz de Cristo. É infinito em extensão e alcance. É um presente para todos nós. Está continuamente ao nosso redor. Está sempre disponível para nós, quer queiramos ou não.

Deus nos abençoou com esta casa chamada terra. O ser humano é tão frágil. Pense sobre o que precisa estar no lugar apenas para sustentar a vida. A terra em relação ao sol, sua rotação, atmosfera, água, vida vegetal e animal, tabernáculo para o nosso espírito, formar famílias, ganhar experiências, obter conhecimento junto com tantas outras bênçãos.

Ele providenciou um plano para nós com um Salvador.

No devocional da semana passada, a irmã Cristina B. Franco declarou: "Não consigo pensar em nada que traga mais alegria e felicidade para nossas vidas do que saber que temos um Pai Celestial que nos ama e nos conhece pessoalmente, que criou uma plano de salvação, também chamado de plano de felicidade, tornando Seu Filho Amado, Jesus Cristo, o centro de Seu plano para que possamos voltar a viver com eles mais uma vez ”. [2]

O Élder David A. Bednar, em um artigo da Ensign de outubro de 2011 intitulado “O sonho de Leí: Apegando-se à vara”, disse:

A característica central do sonho de Leí é a árvore da vida - uma representação do “amor de Deus” (ver Néfi 11: 21–22). “Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna” (João 3:16). Assim, o nascimento, a vida e o sacrifício expiatório do Senhor Jesus Cristo são as maiores manifestações do amor de Deus por Seus filhos. Como Néfi testificou, esse amor é “mais desejável do que todas as coisas” e, como o anjo em sua visão declarou, “mais alegre para a alma” (1 Néfi 11: 22–23).

 1 João 4: 9-11 afirma:

Nisto se manifestou o amor de Deus para conosco: que Deus enviou seu Filho Unigênito ao mundo, para que por meio dele vivamos.

Nisto está o amor, não que nós tenhamos amado a Deus, mas que ele nos amou a nós, e enviou seu Filho para propiciação pelos nossos pecados

Amados, se Deus assim nos amou, também nós devemos amar uns aos outros.

Em Mateus 22: 36–39, um fariseu, também advogado, fez uma pergunta a Jesus, tentando-o, dizendo:

“Mestre, qual é o grande mandamento na lei?

E Jesus disse-lhe: Amarás ao Senhor teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todo o teu pensamento.

Este é o primeiro e grande mandamento.

E o segundo, semelhante a este, é: Amarás o teu próximo como a ti mesmo.

Destes dois mandamentos dependem toda a lei e os profetas.” [5]

Interessante. Amar a Deus de todo o teu coração, de toda a sua alma, de todo o teu pensamento, e amarás o teu próximo.

De todo o teu coração: amar a Deus sempre, com intensidade, em todas as coisas, não importa a sua situação atual dê crédito a Deus. Que vocês possam fazer todas as coisas com o amor de Deus. Tenham coragem “porque Deus é amor”. [6]

De toda a tua alma: Amem a Deus sinceramente. Sejam sempre fiel a Ele. Não quebrem essa confiança. Orem sempre, tenham fé e esperança, sabendo que Jesus levou sobre Si todos os nossos pecados.

De todo o teu pensamento: Mostrem a Deus o amor de vocês estudando as escrituras, ouvindo os profetas e apóstolos e ponderando suas mensagens, busquem a revelação pessoal de Deus, qualquer coisa virtuosa, amável, de boa fama ou louvável, busque essas coisas.[7]

Teu próximo: Esse é o qual tenho me esforçando muito, não por falta de amor, mas pelo medo das minhas próprias fragilidades. Cuidar do próximo é uma atividade que nos ajuda a desenvolver compaixão pelos outros. A nova maneira de ministrar nos ajuda a desenvolver esse atributo cristão muito importante. Interessar-nos pelos outros, mostrar bondade, ter uma atitude atenciosa, querermos ajudar, conversar com eles, vê-los como Deus os vê, prestar serviços de caridade de uma forma que cuide mais dos outros do que de nós mesmos. Isso se aplica especialmente com a família, amigos, vizinhos, nossa família da igreja, colegas de trabalho e quase todo mundo.

O Élder Dieter F. Uchtdorf em um discurso da Conferência Geral de outubro de 2009, declarou o seguinte:

Uma vez que o amor é o grande mandamento, ele deve estar no centro de tudo e de todas as coisas que fazemos em nossa própria família, em nossos chamados da Igreja e em nosso trabalho. O amor é o bálsamo que cura as feridas nos relacionamentos pessoais e familiares. É o elo que une famílias, comunidades e nações. O amor é o poder que promove amizades, tolerância, civilidade e respeito. É a força que sobrepuja a discórdia e o ódio. O amor é o fogo que aquece nossa vida com alegria inigualável e esperança divina. O amor deve transparecer em nossas palavras e ações. Quando realmente compreendemos o que significa amar como Cristo nos amou, a confusão se dissipa e nossas prioridades ficam claras. Nossa jornada como discípulos de Cristo torna-se mais cheia de alegria. Nossa vida adquire novo significado. Nosso relacionamento com o Pai Celestial torna-se mais profundo. A obediência torna-se uma alegria em vez de um fardo.

Deus, o Pai Eterno, não nos deu esse primeiro grande mandamento porque precisa que O amemos. Seu poder e glória não diminuem se o ignorarmos, negarmos ou até se macularmos Seu nome. Seu domínio e influência se estendem pelo tempo e espaço independentemente de nossa aceitação, aprovação ou admiração.

Não, Deus não precisa que O amemos. Mas, oh, como precisamos amar a Deus!” [8]

Que palavras oportunas, especialmente para o nosso tempo e dia.

Em 11 de setembro de 2001, acordamos ansiosos por um dia emocionante! Estávamos cuidando de duas meninas, e durante um ano, Olivia de quatro anos de idade, e Amber de cinco anos se enlaçaram em torno dos corações de nossa família. Decidimos ir a um juiz para adotá-las. Nossa empolgação se transformou em solenidade quando ficamos sentados horrorizados assistindo ao colapso das Torres Gêmeas, com a perda de milhares de vidas inocentes, ainda assim estávamos oferecendo uma nova vida a essas meninas inocentes. Isso trouxe alegria para todos naquele dia.

Três dias depois, viajamos para o Templo de Salt Lake City, onde nossas duas preciosas menininhas foram seladas a nós para esta vida e para toda a eternidade. Mais tarde, enquanto olhávamos para uma estátua de Cristo, Amber colocou sua mãozinha na mão da estátua. Pensei que, embora as pessoas iníquas façam coisas indescritíveis aos inocentes, os convênios sagrados e o poder selador de Deus em Seus templos sagrados são mais poderosos do que qualquer força maligna, e nos unirão com Seu amor como família para sempre.

Aqui temos uma imagem da estátua Christus, uma réplica daquela criada por Bertel Thorvaldsen em 1833.

O que vocês observam?

Alguns podem dizer que Ele tem cabelo comprido, Ele tem uma barba, Ele tem um manto pairante, Ele não tem sapatos, Ele é musculoso, Ele é glorioso - sim, tudo poderia ser verdade. Embora não saibamos como Cristo realmente se parece, que representação artística maravilhosa é.

Vemos uma estátua representando Jesus com Seus braços abertos, mostrando as feridas em Seu peito, mãos e pés, em uma pose que indica,”Venha a mim e saiba que eu sou Deus. Sinta essas feridas que sofri e saiba que te amo,  e morri por ti. Por favor, venha até mim.”

No Livro de Mórmon, quando o Salvador veio aos nefitas, Ele disse: “Levantai-vos e aproximai-vos de mim, para que possais meter as mãos no meu lado e também apalpar as marcas dos cravos em minhas mãos e em meus pés, a fim de que saibais que eu sou o Deus de Israel e o Deus de toda a Terra e fui morto pelos pecados do mundo.” [9]

João 15: 9, 12-13 afirma;

Como o Pai me amou, também eu vos amei a vós; permanecei neste meu amor.

O meu mandamento é este: Que vos ameis uns aos outros, assim como eu vos amei.

Ninguém tem maior amor do que este: de dar alguém a sua vida pelos seus amigos.[10]

O amor é a força maior por trás de tudo o que Jesus Cristo e nosso Pai Celestial fizeram por nós. Ele nos ama.

Vocês já sentiram o amor de Deus assim como eu senti na primeira vez? É uma sensação maravilhosa. Vamos todos nos esforçar para sentir mais o amor de Deus em nossas vidas.

Obrigado a todos que participaram do fórum de discussão do devocional BYU-Idaho quando postei duas perguntas: Como vocês sentem o amor de Deus, Seu amor infinito, e como podem demonstrar o amor de Cristo?

Aqui estão alguns de seus comentários:

“Sinto o amor de Deus quando oro. Depois de reservar algum tempo para me preparar lendo as escrituras, meu coração parece estar mais afinado e, ao orar, o Espírito sussurra que sou conhecido e amado por meu Pai Celestial ”.

E, “Eu sinto o amor infinito de Deus quando paro as ocupações da vida e me conecto com o céu. Eu pondero intencionalmente e me permito sentir. Posso mostrar amor cristão ao oferecer amor e graça aos outros. Posso mostrar isso vendo-os como Ele os vê e tratando-os como Ele me trata. Muitas vezes penso em como Jesus Cristo trataria essa pessoa se estivesse aqui. ”

O Presidente M. Russell Ballard disse em seu discurso na Conferência Geral de outubro passado: “Garanto a cada um de vocês que o Senhor os conhece, que Ele está ciente de suas preocupações e angústias, e que Ele os ama — íntima e pessoalmente, de modo profundo e eterno.”[11]

Precisamos orar por este amor, pelo dom da caridade, “O puro amor de Cristo” e ter alegria e felicidade no serviço aos outros. Estes são presentes valiosos, lembrando que “Toda boa dádiva e todo dom perfeito são do alto, e desce do Pai das luzes”[12]

Para encerrar, apresento dois desafios. Primeiro, comecem com um sorriso. Quando nos levantarmos pela manhã, sorriam e digam: “Eu te amo” e “Jesus me ama também”. Sorriam ao longo do dia. Ficamos tão lindos quando sorrimos.

Em segundo lugar, na próxima conferência geral, ouçam e sintam o amor de Deus, depois ponderem como vocês podem levar isso a sério e aumentar sua própria capacidade de amar.

Que sejamos abençoados em conhecer e sentir “Seu infinito amor”.

Em nome de Jesus Cristo, nosso Senhor e Salvador. Amém.

Notes

[1] Matthew 18:1–5.

[2] Cristina B. Franco, “Be of Good Cheer,” BYUI devotional, Mar. 9, 2021.

[3] David A. Bednar, “Lehi’s Dream: Holding Fast to the Rod,” Ensign, Oct. 2011.

[4] 1 John 4:9–11.

[5] Matthew 22:36–40.

[6] 1 John 4:8.

[7] See Articles of Faith 1:13.

[8] Dieter F. Uchtdorf, “The Love of God,” Ensign, Nov. 2009.

[9] 3 Nephi 11:14.

[10] John 15:9, 12–13.

[11] M. Russell Ballard, “Watch Ye Therefore, and Pray Always,” Ensign, Nov. 2020.

[12] James 1:17.

White.png
Samuel.jpeg
Stephani Costa.jpg

This speech was translated by
Samuel  Miranda&  Stephani Cavalcanti